A PRUDÊNCIA MORREU DE VELHA

imagem

imagem

foto de ensaio @companhiacerta

Sinopse:

É noite de Passagem de Ano, Maria das Dores e Maria do Socorro, duas mulheres desgastadas pelo tempo e esquecidas num tempo, talvez o de hoje, encontram-se a celebrar sem grande entusiasmo mais um Ano Novo. Aterrorizadas pela insegurança reinante na sociedade em que vivem, talvez a nossa, fazem uso e abuso dessa virtude cardinal que é a “prudência”. No momento em que Esperança bate à porta são despoletados uma série de receios, e medos, nas duas amigas.

Com um humor negro que prima pelo absurdo e pela crueldade, elas procuram justificar o grotesco da trama em que mergulharam. Mas o absurdo das situações leva-as a atos irreparáveis. Reféns de seus destinos, e argumentando ridiculamente em defesa do indefensável, elas conseguem o feito, quase impensável, de nos fazer divertir com o seu desespero.

Apesar de tudo é Ano Novo e nada pode estragar os festejos!

FICHA TÉCNICA

Texto | Cláudio Gotbeter

Tradução | Joana Soares

Encenação | Eduardo Faria

Interpretação | Ana Lídia Pereira, Joana Luna e Joana Soares

Desenho de Luz| Eduardo Faria

Cenário e Figurinos| Companhia Certa

Registe-se





Li e concordo com a política de privacidade